Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 25/08/2014
  • 20:55
  • Atualização: 21:08

Reforçado policiamento para primeira audiência do caso Bernardo

Comando da BM em Três Passos suspendeu folgas e pediu auxílio a efetivos vizinhos

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

A Brigada Militar de Três Passos suspendeu folgas na corporação e pediu reforço dos efetivos de Santa Rosa e de Frederico Westphalen para o policiamento em torno do Foro do município, onde a partir das 9h15min desta terça-feira ocorre a primeira audiência de instrução do caso que envolve a morte do menino Bernardo Boldrini. O efetivo local, de 10 a 15 PMs por turno, vai ser praticamente triplicado a partir das 8h. O comandante da BM na cidade, major Diego Munari, evita falar em números e sustenta que o reforço atende a um pedido da direção do Foro, que também dispõe de segurança interna, a cargo de militares da reserva.

Leia mais sobre o caso Bernardo

Apenas dois dos quatro réus – Edelvânia e Evandro Wirganovicz – devem participar da audiência. O objetivo é ouvir 35 testemunhas – 24 de defesa e 11 de acusação. Depois de presidir os depoimentos, inclusive em audiências fora da cidade, o juiz Marcos Agostini deve decidir se os quatro, incluindo o pai do menino, o médico Leandro Boldrini, e a madrasta, a enfermeira Graciele Ugulini, vão a júri popular. Os dois últimos tiveram os pedidos de despensa atendidos pelo juiz, que entendeu ser direito dos acusados optarem por não ser conduzidos à audiência, salvo naquela em que prestarão depoimento.

O major também confirmou que a avenida Júlio de Castilhos, em frente ao Foro, assim como uma rua lateral, ficarão interditadas ao longo da terça-feira. Desde o dia em que o crime veio à tona, a casa onde a família vivia foi alvo de pedradas, pelo menos uma vez. Além de vidraças, telhas foram danificadas depois que a BM desmobilizou o efetivo em torno do local, que segue desocupado e virou ponto de entrega de homenagens, como flores e cartazes.

Bookmark and Share