Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Outubro de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
14º 21º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/08/2014 09:26 - Atualizado em 26/08/2014 11:38

Chega ao fim rebelião em penitenciária de Cascavel

Policiais mantidos como reféns foram liberados e mais de 800 presos transferidos

Chega ao fim rebelião em penitenciária de Cascavel<br /><b>Crédito: </b> TV Record / Reprodução / CP
Chega ao fim rebelião em penitenciária de Cascavel
Crédito: TV Record / Reprodução / CP
Chega ao fim rebelião em penitenciária de Cascavel
Crédito: TV Record / Reprodução / CP

Chegou ao fim às 3h30min desta terça-feira a rebelião de presos da Penitenciária Estadual de Cascavel, no Paraná.O governo no Estado fez um acordo para encerrar o motim e depois de mais 45 horas de tensão, os detentos liberaram os dois agentes penitenciários que eram mantidos reféns. Cerca de 851 presos foram transferidos e encaminhados à penitenciária de Foz do Iguaçu, Guarapuava e Curitiba.

De acordo com a polícia, pelo menos cinco pessoas morreram durante o motim, dois deles chegaram a ser decapitados e outras 25 pessoas ficaram feridas. O juiz da Vara de Execuções Penais Paulo Damas afirma que entre 15 e 20 pessoas teriam morrido na revolta.

Governo do Paraná não pediu ajuda para conter rebelião, diz ministério

Os detentos depredaram celas e atearam fogo em colchões. Cerca de 80% do presídio está destruído. O motim teria sido motivado por maus-tratos, qualidade da alimentação e falta de assistência jurídica, uma vez que muitos dos detentos teriam direito a revisão de pena.

A penitenciária tem capacidade para 1.116 condenados, mas abrigava 1.040, segundo o Depen (Departamento Penitenciário).

A rebelião

A rebelião na penitenciária começou por volta das 6h desse domingo, depois que um grupo de detentos rendeu um agente penitenciário que se preparava para abrir as celas para o café da manhã. Estima-se que mais de 600 presos aderiram ao motim. 

Os policiais militares (PM) não informaram o número de policiais que estão concentrados no local, mas estima-se que passa de 200, incluindo grupos de operações especiais. A PM também não quis comentar se há um plano para invasão do prédio, que ficou destruído pela ação dos amotinados.



* Com informações do R7


Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.