Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 26/08/2014
  • 14:43
  • Atualização: 15:09

Emergências dos hospitais de Porto Alegre estão lotadas

Orientação é que pacientes com casos que não sejam graves procurem as unidades de saúde

Alguns hospitais de Porto Alegre apresentam lotação das emergências | Foto: Samuel Maciel

Alguns hospitais de Porto Alegre apresentam lotação das emergências | Foto: Samuel Maciel

  • Comentários
  • Marco Aurélio Ruas / Correio do Povo

Praticamente todas as emergências dos hospitais de Porto Alegre estão lotadas nesta terça-feira. Algumas chegaram a operar com mais do que o dobro da capacidade.

No Hospital Conceição (GHC), o setor, que dispõe de 64 leitos para o Sistema Único de Saúde (SUS), estava recebendo 128 pacientes no final da manhã. Segundo o médico emergencista do Núcleo Interno de Regulação de Leitos do Conceição, Celso Alves, as doenças respiratórias, cardiovasculares, além das decorrentes de patologia oncológica, são as mais diagnosticadas em pessoas que procuram a emergência da instituição. “Outros casos, de baixa complexidade, podem ser atendidos pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS)”, revelou.

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) está atendendo apenas casos de urgência, pois 110 pessoas recebiam atendimento nos 41 leitos da instituição. No Complexo Santa Casa de Misericórdia também foi registrada a superlotação do setor de atendimento a adultos pelo SUS. É o caso do Hospital Santa Clara, onde 40 pacientes ocupavam os 26 leitos disponíveis. Já no Hospital Dom Vicente Scherer, que atende conveniados, a situação estava mais normalizada, com 15 adultos sendo atendidos nos 14 leitos da instituição.

Atendendo apenas a convênios, o Hospital Ernesto Dornelles operava com restrição, já que têm 14 leitos, e atendia a 18 pacientes. Outros casos foram encaminhados a instituições que recebessem os mesmos convênios. Recebendo apenas casos graves, o Hospital São Lucas operava com a proporção mais grave, atendendo 42 pacientes tendo apenas 13 leitos disponíveis. As emergências pediátricas das instituições funcionam normalmente.

Bookmark and Share