Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

  • 27/08/2014
  • 20:56
  • Atualização: 21:49

Samu da Capital identifica homem que passou três mil trotes no 1º semestre

Todas as ligações são gravadas e o atendente consegue visualizar o número do telefone do chamado

Samu da Capital identifica homem que passou três mil trotes no 1º semestre | Foto: Tarsila Pereira / CP Memória

Samu da Capital identifica homem que passou três mil trotes no 1º semestre | Foto: Tarsila Pereira / CP Memória

  • Comentários
  • Marco Aurélio Ruas / Correio do Povo

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Porto Alegre identificou o responsável por três mil trotes no primeiro semestre deste ano, com três números diferentes de celular. O homem, de 39 anos, tem problemas psicossociais e fazia diversas ligações diariamente.

Segundo a coordenadora-geral do Samu da Capital, Miria Patines, o teor das ligações era obsceno e com palavras inadequadas. O serviço conseguiu identificar os proprietários dos telefones, endereço e telefone fixo. “Conversamos com os pais dele que ficaram surpresos e se comprometeram a resolver a situação de maneira educativa, sem necessitar de medidas criminais”, conta. De acordo com Miria, o diálogo ocorreu no final de julho e durante todo o mês de agosto não foram feitas ligações desse homem.

A coordenadora ressalta que como as ligações são gratuitas, acabam sendo uma diversão para as pessoas. No primeiro semestre, das 154.751 ligações, 32.993 foram trotes, o que representa 21% do total. “As pessoas devem compreender que ao fazer esse tipo de contato estão prejudicando um atendimento ou até perdendo uma vida”, esclarece.

Atualmente, seis telefonistas fazem o primeiro atendimento com a população. “Os trotes deixam as linhas ocupadas para situações verídicas”, observa Miria. De acordo com ela, algumas vezes são criadas situações fictícias que obrigam o encaminhamento de uma das 15 ambulâncias na cidade. Todas as ligações para o Samu são gravadas e o atendente consegue visualizar o número do telefone do chamado.

Em outros casos, duas crianças foram identificadas. Uma fez 780 ligações e a outra 625. Uma delas ligava durante o dia para “Sami” em busca da mãe, enquanto a outra usava o celular da avó, sem créditos, para jogar, mas ligava sem a responsável ver. Para solucionar essas questões envolvendo crianças, o Samu irá adaptar uma das ambulâncias que não são mais usadas para o Samusinho, unidade móvel usada para a educação e conscientização em orelhões próximos a escolas.

Bookmark and Share


TAGS » Geral, Samu, Trotes