Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
14º 24º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

27/08/2014 21:41 - Atualizado em 27/08/2014 21:52

Ações de caridade e missas marcam 19 meses da tragédia da Kiss

Santa Maria teve reunião de familiares e minuto do barulho em frente à Igreja das Dores

Santa Maria teve reunião de familiares e minuto do barulho em frente à Igreja das Dores<br /><b>Crédito: </b> João Vilnei/Especial CP
Santa Maria teve reunião de familiares e minuto do barulho em frente à Igreja das Dores
Crédito: João Vilnei/Especial CP
Santa Maria teve reunião de familiares e minuto do barulho em frente à Igreja das Dores
Crédito: João Vilnei/Especial CP

Os 19 meses que marcaram a tragédia da Boate Kiss foram lembrados nesta quarta-feira com diversas atividades na cidade de Santa Maria. Na tenda da vigília, localizada no calçadão em frente a agência do Banrisul, familiares e amigos estiveram reunidos. Também foi realizada a distribuição de donativos através do Movimento Santa Maria do Luto a Luta.

A entrega de roupas e calçados aconteceu em três locais: ao lado da tenda onde foi colocado um varal com roupas; na Praça Saldanha Marinho e nas proximidades da Biblioteca Municipal Henrique Bastide na rua Professor Teixeira. A tenda foi ornamentada com balões. No local, aconteceu um minuto de barulho que também foi repetido em frente à Igreja das Dores.

A Associação Ah Muleke, criada por um grupo de pais que perdeu seus filhos no sinistro, promoveu uma missa na Catedral Metropolitana. Uma outra missa foi realizada na Igreja das Dores com iniciativa da Associação dos Familiares das Vitimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM).

O incêndio na boate Kiss ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013, causado pelo acendimento de um sinalizador por integrante da banda Gurizada Fandagueira que se apresentava na casa noturna. A imprudência e as más condições de segurança ocasionaram a morte de 242 pessoas. A tragédia é a segunda maior no Brasil em número de vítimas, sendo superada apenas pela do Gran Circus Norte-Americano, ocorrida em 1961, em Niterói, que vitimou 503 pessoas.

No mês de setembro vai ocorrer a inquirição de testemunhas de defesas do processo criminal da tragédia. Serão ouvidas 50 pessoas em Santa Maria .O juiz Ulysses Fonseca Louzada, que preside o processo criminal, marcou as audiências para 16,17,18, 23 e 30 de setembro; e 1, 2, 7, 8, 9 e 14 de outubro.

Bookmark and Share


Fonte: Renato Oliveira/Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.