Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 28/08/2014
  • 18:24
  • Atualização: 18:27

Após 30 dias, corpos de jovens gaúchos ainda não foram liberados no Paraguai

Ainda não há suspeitas sobre a motivação ou à autoria do crime do assassinato ocorrido em agosto

  • Comentários
  • Ananda Müller/Rádio Guaíba

Um mês depois de um duplo homicídio no Paraguai, os corpos de dois jovens gaúchos ainda não tiveram o traslado para o Brasil autorizado pelo Ministério Público paraguaio. A informação é do setor de investigação da 1ª Delegacia de Polícia de Bento Gonçalves, cidade onde viviam as vítimas – Lucas Morini, de 23 anos, e Dionatan Cordova Dias, de 28. De acordo com a Polícia, o procedimento mais moroso já foi realizado: a identificação papiloscópica, através das impressões digitais, foi efetuada assim que os corpos foram encontrados, e os resultados enviados ao Paraguai. A expectativa das famílias e das funerárias responsáveis pelo sepultamento era fazer o traslado dos corpos ainda nesta semana, mas o prazo não se cumpriu.

Polícia paraguaia vai assumir investigação sobre caso de gaúchos assassinados
Corpos de gaúchos mortos no Paraguai devem chegar ao Brasil na próxima semana

Encontrados mortos na manhã do dia 27 de julho, sem documentos, os jovens foram enterrados como indigentes no país vizinho. Eles foram localizados em uma estrada do interior da cidade de Itaqyry, distante cerca de 100 km de Foz do Iguaçu. A investigação está a cargo da Polícia do Paraguai, mas a Polícia gaúcha está colaborando com a confecção do inquérito, uma vez que diligências já eram realizadas no Brasil antes da identificação do paradeiro dos jovens. Ambos perderam o contato com a família na noite do dia 26 de julho, quando o desaparecimento foi comunicado à Polícia brasileira. Ainda não há suspeitas sobre a motivação ou à autoria do crime.

Bookmark and Share