Porto Alegre, domingo, 21 de Dezembro de 2014

  • 02/09/2014
  • 20:54
  • Atualização: 21:14

Afastado risco de dano ambiental grave ao Dilúvio em Porto Alegre

Vazamento de óleo no arroio ocorreu na segunda-feira, na avenida Ipiranga

Conforme analista, parte do volume de óleo que caiu no córrego foi absorvido pelas barreiras de contenção | Foto: Lindomar Constante / PMPA / Divulgação / CP

Conforme analista, parte do volume de óleo que caiu no córrego foi absorvido pelas barreiras de contenção | Foto: Lindomar Constante / PMPA / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Eduardo Paganella / Rádio Guaíba

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) afirmou que o óleo diesel que caiu no Arroio Dilúvio, após o vazamento em um caminhão-tanque na última segunda-feira, não vai causar dano ambiental grave ao córrego e ao Guaíba. Conforme o analista do serviço de emergência da Fepam, André Milanez, parte do volume de óleo que caiu no córrego foi absorvido pelas barreiras de contenção instaladas pela transportadora responsável pelo veículo, ao longo do Dilúvio.

“As barreiras que foram instaladas em uma boca de lobo próximo ao local do acidente e em mais dois pontos conseguiram absorver parte da substância. Por conta das pequenas quedas de água, o óleo foi se solubilizando. Por conta disso, não deve haver danos ambientais graves nem no Dilúvio e nem ao Guaíba”, afirmou Milanez.

O acidente ocorreu na manhã dessa segunda-feira, na avenida Ipiranga. Um caminhão-tanque que percorria o local tombou e derramou aproximadamente três mil litros de óleo no Dilúvio. Apesar de ter contido o dano ambiental, a transportadora responsável pela carga pode ser multada pelo acidente até o fim da semana. De acordo com a Prefeitura, um dos eixos do caminhão se soltou e quebrou a válvula de um dos tanques.

Bookmark and Share