Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 03/09/2014
  • 16:16
  • Atualização: 16:22

Corsan e AES Sul dão versões diferentes para falta de água no Vale do Sinos

Desabastecimento dessa terça atingiu moradores de Campo Bom, Sapiranga, Portão e Estância Velha

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

A concessionária AES Sul emitiu nota nesta quarta-feira negando ter identificado evidência de ato de vandalismo contra a rede elétrica de Campo Bom, na segunda-feira. Nesse dia, às 21h30min, a Corsan informou o problema e, na manhã seguinte, alegou que esse era o motivo da queima de um transformador que deixou aproximadamente 250 mil clientes sem água, até essa madrugada nas cidades de Campo Bom, Sapiranga, Portão e Estância Velha.

O comunicado informa que uma equipe da AES Sul percorreu o circuito e não encontrou dano capaz de suspender o fornecimento de energia. O único problema identificado foi a queima do transformador interno da Corsan, fato que, segundo a concessionária, pode interferir na rede elétrica. Isso se confirmou na manhã dessa terça, quando a empresa voltou a Campo Bom para consertar uma chave que se desligou por conta da queima do transformador. A AES Sul garante, ainda, que o fornecimento de energia do circuito elétrico que atende a Corsan e clientes da região esteve normal, desde segunda-feira, em Campo Bom.

Consultada, a Corsan ainda não se manifestou, mas reiterou a tese de que houve vandalismo. De acordo com essa versão, repassada à imprensa na terça-feira pelo chefe de Operação da Corsan de Campo Bom, João Inácio Martin, um arame foi jogado na rede de alta tensão da AES em Campo Bom, o que provocou falta de luz e danificou o transformador localizado junto à captação de água. Com o dano, o transformador precisou ser substituído. Para amenizar a situação, a companhia colocou ontem cerca de 15 caminhões-pipa à disposição de hospitais e escolas, nas quatro cidades.

Bookmark and Share