Porto Alegre, sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

  • 04/09/2014
  • 14:43
  • Atualização: 14:47

PIB gaúcho fica praticamente estável no primeiro semestre

Dados da FEE apontam crescimento de 0,1% em relação com 2013

  • Comentários
  • Correio do Povo

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul apresentou leve crescimento de 0,1% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período em 2013, de acordo com dados divulgados pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) nesta quinta-feira.

A agropecuária caiu 2,3% e a indústria apresentou recuo de 2,4%. A indústria de transformação (-3,1,%) e a construção (- 4,6%) também recuaram. Por outro lado, as demais indústrias cresceram 7,3%. Os serviços ( 1,5%), comércio (1%), transportes (2,8%), aluguéis (3,1%) e administração pública (2,5%) também apresentaram crescimento.

Na comparação do segundo trimestre com o mesmo período de 2013, os dados mostram queda de 2,4% no PIB do Estado. Os impostos caíram 3,6% e o Valor Adicionado Bruto (VAB), 2,3%. Conforme economista da FEE, Martinho Lazzari, o VAB da agropecuária apresentou redução de 6,7% no período, principalmente pela diminuição do valor adicionado da soja. Lazzari explicou que no segundo trimestre deste ano houve o chamado efeito Copa do Mundo: a economia desacelerou praticamente um mês devido aos jogos e a paralisação da produção.

A indústria de transformação caiu de 7,2%, principalmente pelas reduções nas produções das atividades de veículos automotores (-17,4%), produtos químicos (-15,3%), móveis (-10,8%) e máquinas e equipamentos (-6%). A construção civil apresentou recuo de 8,5% e as demais indústrias cresceram 3,8%. Os serviços apresentaram aumento de 0,1%. O comércio (-0,9%), os transportes (-2%) e os demais serviços (-1,5%) apresentaram queda. Já as atividades de aluguéis (3,1%) e administração pública (2,5%) cresceram.

No acumulado dos últimos quatro trimestres, contra igual período do ano anterior, o PIB do Estado cresceu 1,9%. A agropecuária apresentou queda de 2,2%. Nesse período, a indústria expandiu-se 1,9%, com destaque para o crescimento da indústria de transformação (3,6%) e as demais indústrias (4,9%). A construção civil, por outro lado, apresentou queda de 1,2%. O VAB dos Serviços aumentou 2,6% e o comércio cresceu 3,1%. Também apresentaram crescimento o setor de transportes (6,1%), aluguéis (2,8%), administração pública (2,6%) e os demais serviços (1,3%).

Bookmark and Share