Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 04/09/2014
  • 21:48
  • Atualização: 21:49

Policial relata ter abordado carro de Graciele por excesso de velocidade

Depoimento foi o segundo do Caso Bernardo fora da comarca de Três Passos

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

Um policial rodoviário estadual que abordou o carro de Graciele Ugulini e Bernardo Uglione Boldrini, no caminho para Frederico Westphalen, em 4 de abril, foi ouvido nesta quinta-feira à tarde no Foro da Comarca de Tenente Portela. O depoimento da testemunha de acusação, arrolada pelo Ministério Público, começou às 15h e durou em torno de 20 minutos. Foi a segunda oitiva no processo sobre a morte do menino Bernardo Boldrini fora da Comarca de Três Passos, onde ele vivia com o pai (Leandro) e a madrasta (Graciele), dois dos quatro réus do crime.

O policial confirmou o que já havia dito à Polícia: que abordou o carro conduzido por Graciele, por excesso de velocidade, na ERS 472, no sentido Tenente Portela-Frederico Westphalen. No veículo, uma caminhonete preta, o menino era o único passageiro, no banco de trás. O policial lembrou de ter visto Bernardo acordado e não chegou a conversar com ele, perguntando apenas se ele havia puxado o cinto de segurança. O garoto acenou que sim. Ainda segundo o patrulheiro, Graciele reagiu à abordagem com educação, mas não informou para onde seguia.

Audiências em Três Passos serão retomadas na segunda-feira

Na segunda-feira, mais sete testemunhas arroladas pela acusação devem ser ouvidas na Comarca de Três Passos, onde Bernardo vivia com o pai e a madrasta. Também estão designadas cartas precatórias em Rodeio Bonito, Santo Ângelo e Soledade, para ouvir três testemunhas; Frederico Westphalen, para tomar oito depoimentos, e Santa Maria, para que mais uma testemunha deponha.

Ao todo, 77 pessoas foram incluídas como testemunhas no processo, sendo 25 pelo Ministério Público, autor da ação, e 52 pelas defesas dos quatro réus.

Bookmark and Share