Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 16 de Dezembro de 2017

  • 20/04/2017
  • 16:12
  • Atualização: 16:20

Brasil perdeu mais de 63 mil vagas formais de emprego em março

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados foram divulgados pelo Ministério do Trabalho

Em março do ano passado, o saldo foi negativo em 118.776 vagas | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Em março do ano passado, o saldo foi negativo em 118.776 vagas | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

  • Comentários
  • AE

O Brasil voltou a perder postos de trabalho com carteira assinada em março, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No mês passado, o saldo líquido de contratações e demissões ficou negativo em 63.624 vagas. No primeiro trimestre, houve encerramento de 64.378 mil postos de trabalho.

A pesquisa consultou 18 instituições, cujas previsões iam do fechamento de 37 mil vagas à abertura de 40 mil postos de trabalho. O número de março ficou abaixo da mediana das previsões, que indicava abertura de 9.954 postos no mês passado.

Em fevereiro, o emprego formal quebrou uma série negativa de 22 meses, com a geração de 35.612 postos de trabalho. O dado foi anunciado pelo próprio presidente Michel Temer.

O comércio foi o setor da economia que mais fechou postos de trabalho em março. No mês passado, houve saldo líquido negativo de 33.909 empregos nesse setor. Em seguida, o segmento de serviços foi o segundo com a maior contribuição negativa: 17.086 postos em março.

Segundo o Ministério do Trabalho, a construção civil também contribuiu negativamente, com 9.059 postos fechados. Outros segmentos da economia que também tiveram fechamento de postos foram a indústria da transformação (-3.499 empregos) e agricultura (-3.471 postos).

Por outro lado, a administração pública terminou março com abertura líquida de 4.574 postos de trabalho.