Porto Alegre

9ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de Agosto de 2017

  • 11/08/2017
  • 13:25
  • Atualização: 13:30

Com fim de restrições do Cade à Perdigão, dona da Sadia lançará terceira marca

Executivos fizeram anuncio durante teleconferência de resultados do segundo semestre

Executivos fizeram anuncio durante teleconferência de resultados do segundo semestre | Foto: Maurício lima / AFP / CP Memória

Executivos fizeram anuncio durante teleconferência de resultados do segundo semestre | Foto: Maurício lima / AFP / CP Memória

  • Comentários
  • AE

Com o fim das restrições do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) às marcas da Perdigão, a BRF, que também é dona da Sadia, vai lançar uma terceira marca no mercado. A novidade foi divulgada nesta sexta-feira, pelos executivos da empresa, durante a teleconferência de resultados do segundo trimestre. No período, a empresa registrou prejuízo líquido de R$ 167 milhões, principalmente devido ao efeito da Operação Carne Fraca.

"Com o fim das restrições do Cade, aprovamos no conselho uma nova marca que vai atuar no segmento de entrada com preços atrativos", afirmou o CEO da BRF, Pedro Faria.

O nome desta nova marca ainda não foi divulgado. No entanto, os executivos revelaram que ela deve atuar em um segmento em que a BRF não está presente atualmente e que compõe mais de 30% do mercado brasileiro de alimentos processados. A BRF espera iniciar a atuação no primeiro trimestre de 2018. "A nova linha vai ajudar a otimizar a cadeia, melhorando o uso dasmatérias-primas", disse Faria.

Os executivos negaram que vá haver canibalismo entre as marcas da empresa e que esta terceira contará com uma rede de distribuição independente, sem entrar no mesmo esquema dos atuais 176 mil pontos de venda de Perdigão e Sadia "A introdução de uma terceira marca não tira nosso foco de Sadia e Perdigão nos pontos em que elas atuam hoje", afirmou o vice-presidente de negócios da companhia no Brasil, Alexandre de Almeida. "Na questão de distribuição, é importante não ter canibalização e, por isso, vamos apostar em uma distribuição independente", afirmou.

"A nova marca foi amplamente estudada, estou muito confiante que vamos acrescentar market share. Vamos ocupar espaços existentes onde não estávamos", disse o presidente do conselho da empresa, Abílio Diniz. "Além de ocupar matéria-prima que sobra, vai ocupar capacidade instalada que não estava sendo usada".