Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 19 de Setembro de 2017

  • 09/05/2017
  • 15:13
  • Atualização: 15:20

Reunião entre municipários e secretário de Educação termina sem acordo

Prefeitura diz que posição sobre nova rotina escolar é inalterável; professores temem corte no salário

Reunião entre municipários e secretário de Educação termina sem acordo | Foto: Guilherme Testa

Reunião entre municipários e secretário de Educação termina sem acordo | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Henrique Massaro

O Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) e a Associação dos Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa) estiveram reunidos, na manhã desta terça-feira, com o secretário municipal de Educação, Adriano Naves de Brito. Entre os assuntos para tratar, estavam a nova rotina escolar e o déficit de professores. Após o encontro, do qual também participaram representantes dos setores de Recursos Humanos e Jurídico da Secretaria Municipal de Educação (Smed), não se chegou a um consenso.

De acordo com o diretor geral do Simpa, Jonas Tarcísio Reis, a categoria pede que a prefeitura nomeie mais professores, pois há um déficit de mais de 400 profissionais nas escolas do município. Ainda segundo ele, diretores têm procurado o Sindicato relatando que estão precisando dispensar alunos e encerrar aulas antes do horário devido à falta de educadores.

Além disso, o diretor geral disse que o encontro com o secretário também era motivado pela “ameaça de corte de salário” para os servidores que permanecem fazendo a antiga rotina escolar, ou seja, das 7h30min ao meio-dia. Na nova rotina, o município estipula que as aulas comecem às 8h. “As comunidades escolares não aguentam mais a opressão da Secretaria de Educação”, declarou Reis.

Durante a reunião, o secretário de Educação reiterou que a posição do Executivo é de que o ponto eletrônico dos professores seja registrado das 8h ao meio-dia. Conforme Brito, os municipários têm o direito de discordar do posicionamento, mas ele é inalterável. Ele ainda disse que a prefeitura tem a preocupação de que o relógio ponto esteja em pleno funcionamento em todas as escolas da rede.

O Simpa e a Atempa estão organizando um seminário ainda sem data definida para discutir os rumos da Educação na Capital. Sobre isso, o secretário não excluiu totalmente a possibilidade de participação da Smed, mas disse que, no momento, o órgão não pode ter esta responsabilidade. “Não estamos maduros para chamar um seminário”, disse.

A questão das nomeações não chegou a ser abordada pelo secretário. A Smed comunicou que novas reuniões serão realizadas e que a pauta, daqui para frente, será decidida de forma mais específica.