Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 16 de Janeiro de 2018

  • 13/01/2018
  • 16:59
  • Atualização: 17:27

Projeto leva crianças com deficiência para tomar banho de mar em Tramandaí

Jovens entraram na água com auxílio de andadores fabricados com PVC

Ação foi promovida pelo Programa Tampinha Legal em parceria com o Sesc | Foto: Guilherme Testa

Ação foi promovida pelo Programa Tampinha Legal em parceria com o Sesc | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Henrique Massaro

Sentir o calor do sol na beira da praia e se refrescar no mar. Para crianças e jovens com deficiências, essa sensação comum à maioria dos veranistas enfim é uma realidade. Por meio de andadores fabricados com PVC, os pequenos puderam desfrutar do típico banho de mar do Litoral Norte na tarde deste sábado. A ação, promovida pelo Programa Tampinha Legal em parceria com o Sesc, ocorreu na praia de Tramandaí, mas se estende através de oficinas por todo o litoral gaúcho."A melhor invenção que podiam inventar era essa", comemorou Iara Alves, que acompanhava a neta Vitória, de 17 anos.

Segundo ela, com os andadores convencionais, o banho de mar era algo impossível para a neta a costumada a frequentar a praia. Desde o ano passado, quando ocorreu a primeira edição dos andadores de PVC, isso mudou. "É muito bom tomar banho com ele. Sentir o mar é muito gostoso", disse Vitória. A maneira correta de fazer com que o plástico vá para o mar.

Para a coordenadora do Programa Tampinha Legal, Simara Souza, essa é a grande mensagem de educação que a iniciativa deixa para a sociedade. Segundo ela, trata-se de um equipamento barato e fácil de se produzir e que, mesmo assim, é capaz de promover a felicidade de diversas crianças e suas famílias. "É uma alegria sem tamanho", resumiu.

Ao todo, 30 andadores estarão disponíveis para serem emprestados a famílias de crianças com deficiência em todo o litoral, de Torres até o Cassino. Além dos 20 lançados neste sábado, outros dez serão produzidos em oficinas em diversas praias gaúchas. O Tampinha Legal foi criado pelo Congresso Brasileiro do Plástico (CBP) e é o maior programa socioambiental da indústria de transformação do plástico na América do Sul. Através dele, são recolhidas tampas plásticas que são em revertidas em recursos destinados para entidades assistenciais credenciadas.