Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

  • 28/07/2017
  • 15:45
  • Atualização: 15:10

EPTC diz que fim da isenção busca evitar “inviabilização” do transporte público

Presidente do órgão, Marcelo Soletti, defendeu que medida visa o “bem coletivo”

Prefeitura acabou com 100% de isenção na segunda passagem de Porto Alegre | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Prefeitura acabou com 100% de isenção na segunda passagem de Porto Alegre | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

O presidente da Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC), Marcelo Soletti, se manifestou via Facebook nesta sexta-feira para defender a decisão da prefeitura de Porto Alegre de acabar com a isenção de 100% da segunda passagem para quem pega duas linhas de ônibus diferentes em um intervalo de até meia hora. Um decreto assinado pelo prefeito Nelson Marchezan Jr, nesta quinta estabeleceu que, em 30 dias, o valor da segunda viagem passe a ser de R$ 2,02, metade da tarifa atual – que é de R$ 4,05.

De acordo com Soletti, apenas 13% dos usuários de ônibus utilizam o benefício da segunda passagem com isenção. Mesmo assim, o presidente da EPTC sustenta que a medida é necessária para evitar que haja uma “inviabilização” de todo o sistema.

“Esse decreto é de 2011, quando a passagem tinha 50% e passou a ser 100% Essa segunda passagem com 100% deu início a um desequilíbrio no sistema, e isso se comprova com a Carris. 2001 foi a primeira vez que a Carris deu prejuízo e de lá para cá ele vem só aumentando”, afirmou.

A justificativa da prefeitura é buscar um impacto menor em reajustes futuros da passagem de ônibus. “A situação vai ser pior se nada for feito. Vai chegar a R$ 4,60 ano e ano que vem e pode passar dos R$ 5 em 2019”, disse Soletti.

A mudança atinge também o limite de uso da integração, que passa a ser de três por dia. Quem precisar mais deve procurar a EPTC e comprovar o motivo, o que demanda análise caso a caso.

Além do decreto publicado, a prefeitura já enviou à Câmara de Vereadores seis projetos que reduzem isenções. Entre eles, um restringe a concessão da passagem escolar a quem comprovar até três salários mínimos de renda mensal. Não há prazo para que os projetos sejam votados em plenário.

Regras para utilização da isenção tarifária da segunda viagem:

- Pagamento de tarifa na primeira linha

- Passagem pela roleta na segunda linha em até 30 minutos, contados do desembarque do primeiro ônibus

- Integração realizada em linha diferente da utilizada na primeira viagem

- Integração visando, unicamente, à complementação do deslocamento a um destino final único

- Limitação do uso do beneficio em três integrações diárias. Caso necessite ultrapassar o descrito, o usuário pode solicitar alteração para o caso específico, mediante comprovação e autorização da EPTC.