Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 18 de Novembro de 2017

  • 17/05/2017
  • 12:23
  • Atualização: 12:56

Políticos republicanos começam a levantar possibilidade de impeachment de Trump

Congressista Al Green afirmou que "não está entre direitos do presidente obstruir a Justiça"

Políticos republicanos começam a levantar possibilidade de impeachment de Trump  | Foto: Olivier Douliery / AFP / CP

Políticos republicanos começam a levantar possibilidade de impeachment de Trump | Foto: Olivier Douliery / AFP / CP

  • Comentários
  • AE

O Congressista dos Estados Unidos, Al Green, do Partido Republicano do Texas, foi ao plenário da Casa para pedir pelo impeachment do presidente Donald Trump, em meio a crise política no governo. Mais cedo, no Twitter, Green divulgou a ação que tomaria: "Hoje, no plenário do Congresso dos EUA, eu pedirei pelo impeachment do presidente. Não está entre os direitos do presidente obstruir a Justiça", escreveu Green, que também é um cantor famoso norte americano.

• Putin diz estar "disposto a fornecer gravação" de conversa Trump-Lavrov

A mídia norte-americana especializada em política também divulgou que o republicano Justin Amash, de Michigan, da Câmara dos Representantes, teria sido o primeiro político do partido na Casa a considerar o impeachment de Trump, caso as alegações de que ele pressionou o então diretor do FBI, James Comey, a encerrar uma investigação sobre o ex-assessor de segurança nacional, Michael Flynn, forem verdadeiras. "Se as informações se confirmarem, eu apoiaria um impeachment, mas todos neste país têm o direito a um julgamento justo", afirmou Amash.

No fim da tarde de segunda-feira, a imprensa dos EUA trouxe a informação de que Trump teria tentado pressionar Comey a interromper as investigações sobre Flynn, que teria ligações com a Rússia, citando um memorando escrito pelo próprio Comey. A Casa Branca nega a história. Soma-se à isso as notícias de que Trump compartilhou informações confidenciais durante encontro com autoridades russas na Casa Branca, na semana passada.