Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Julho de 2017

  • 17/05/2017
  • 10:12
  • Atualização: 10:31

Comerciantes e lojistas são alvos de golpes e furtos na área central

Acise já solicitou ajuda as autoridades de segurança

Comerciantes e lojistas são alvos de golpes e furtos na área central | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

Comerciantes e lojistas são alvos de golpes e furtos na área central | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

  • Comentários
  • Fernanda Bassôa

Pelo menos três furtos são cometidos por dia nos comércios localizados na área central de Esteio, segundo aponta a Associação Comercial e Industrial de Serviços do Município (Acise), que já solicitou ajuda as autoridades de segurança. Segundo o presidente da associação, Longuinho Musykant, além do prejuízo com os produtos levados, os comerciantes e empresários também tem sido vítimas de golpes.

"Duplicatas e títulos de crédito fraudados estão sendo emitidos por falsos credores ao comércio local. As faturas são pagas pelos lojistas - induzidos ao erro -, e posterior são informados que a dívida se encontra aberta. Ou seja, efetuaram o pagamento de um falso título. Prejuízo em dobro. Isso tem acontecido com bastante frequência”, afirmou. 

O comandante do 34º BPM de Esteio, tenente-coronel José Nilo Corrêa Alves, disse que está atento a esta situação e informou que mesmo com efetivo reduzido, montou uma Patrulha Comercial e Bancária visando dar mais atenção nestes locais, entre 9 e 18 horas. “A intenção é que com a presença de PMs o número de furtos e roubos se reduza. Sabemos que um dos principais pontos de fuga de suspeitos é a Vila Pedreira. Estamos atentos aos acessos.” Nilo afirma que é importante acionar a BM ou ligar para o 190, assim que suspeitarem de atitudes ou pessoas estranhas.

Com relação a registros de ocorrência na DP sobre emissão de documentos falsos, o delegado André Sperotto, comentou que não há muitos. No entanto, esclareceu que os lojistas devem ficar atentos no momento de abertura de cadastro, recebimento de cheques e/ou empréstimos. “O comerciante deve avaliar o documento, olhar a foto, a textura e, mesmo assim, se houver desconfiança, entre em contato com a Polícia Civil pelo 197. Se a pessoa já tiver sido vítima do golpe, deve ser efetuado o registro. Deve ser feita a comunicação.”