Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 21 de Outubro de 2017

  • 11/08/2017
  • 13:33
  • Atualização: 13:46

Temer diz que vai recuperar grau de investimento no país em breve

Discurso foi realizado em cerimônia do setor de agronegócio no Mato Grosso

Discurso foi realizado em cerimônia do setor de agronegócio no Mato Grosso | Foto: Alan Santos / PR / Divulgação / CP

Discurso foi realizado em cerimônia do setor de agronegócio no Mato Grosso | Foto: Alan Santos / PR / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

Ao participar nesta sexta-feira de cerimônia do setor de agronegócio, o presidente Michel Temer falou sobre a situação econômica do país e disse que "logo" o Brasil vai recuperar o grau de investimento perdido no passado. O grau de investimento funciona como um atestado de que os países não correm risco de dar calote na dívida pública.

"Quando vejo o Risco Brasil, que estava em mais de 470 pontos negativos quando assumi o governo, hoje está em 195 pontos. Portanto, caiu sensivelmente e logo, logo, vamos reassumir o grau de investimento que perdemos no passado", disse na inauguração da primeira usina de etanol feito exclusivamente de milho do Brasil, em Lucas do Rio Verde (MT). A usina é da empresa privada FS Bioenergia.

Em 2008, o Brasil tinha sido elevado à categoria de grau de investimento. A primeira agência a incluir o país nesse patamar foi a Standard & Poor's, em abril daquele ano. A decisão foi seguida pela Fitch, em maio do mesmo ano, e pela Moody's, em setembro de 2009. No entanto, em setembro de 2015, a Standard & Poor's retirou o grau de investimento do país e concedeu perspectiva negativa, abrindo caminho para que a nota fosse reduzida novamente em fevereiro de 2016. Em dezembro de 2015, a Fitch reduziu a nota do Brasil para um nível abaixo da categoria de bom pagador. A Moody's retirou o grau de investimento do Brasil em fevereiro de 2016. Na ocasião, a Moody's reduziu a nota do país para dois níveis abaixo do grau de investimento.

Temer ressaltou a importância das reformas feitas por seu governo como a trabalhista e a do ensino médio e citou os índices positivos de criação de empregos dos últimos meses o que, segundo ele "indica a tendência crescente para combate ao desemprego no país". Lembrou também a aprovação do teto para os gastos públicos. "Estas matérias todas, assim como o teto dos gatos públicos, foi fundamental para as nossas finanças. Apanhamos o país numa das piores recessões dos últimos tempos. O primeiro passo foi combater a recessão e, debelada a recessão, caminhar para o desenvolvimento" disse.

Durante discurso na cerimônia, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, também falou sobre economia. Segundo ele, quando Temer assumiu a presidência o Brasil estava em "queda livre", mas agora já demonstra os sinais de melhora."Nesse momento todos percebemos, ainda estamos em crise, mas o Brasil começa a sair do buraco em que se encontrava. Os empregos começam voltar", disse.

Mais cedo, Temer participou da abertura da colheita de algodão, também em Lucas do Rio Verde. O Brasil está entre os cinco maiores produtores e exportadores mundiais de algodão em pluma e o Mato Grosso responde por cerca de 67% da produção nacional. Essa é a primeira viagem do presidente ao Mato Grosso desde que assumiu o mandato.