Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 24 de Setembro de 2017

  • 19/05/2017
  • 22:20
  • Atualização: 22:41

Sartori garante que doação da JBS foi legal: “Nunca participei desse mar de lama”

Governador se manifestou nas redes sociais sobre delação do diretor da empresa

Governador se manifestou via Twitter sobre delação do diretor da empresa | Foto: Paulo Nunes / CP Memória

Governador se manifestou via Twitter sobre delação do diretor da empresa | Foto: Paulo Nunes / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

O governador José Ivo Sartori se manifestou pelas redes sociais na noite desta sexta-feira após o diretor da JBS, Ricardo Saud, dizer em deleção premiada que doou R$ 1,5 milhão em propina para a campanha do PMDB ao governo do Estado, em 2014. Sartori admitiu o recebimento do valor, mas garantiu que foi uma doação legal.

“A doação da JBS para minha campanha foi declarada e com recibo, dentro da legalidade. Repudio qualquer tentativa de me envolver nesse caso. Nunca participei desse mar de lama. E o povo gaúcho pode ter certeza de que não haverá nada que prove em contrário. Minha honra é meu maior patrimônio. Faz parte da minha criação fazer a coisa certa. Não aceito a generalização”, afirmou Sartori, que defendeu a investigação do caso.

“Não me misturem com essa gente. Pratico e sempre pratiquei a política da seriedade, da integridade e da transparência. Espero que haja responsabilidade na abordagem do assunto, com investigação e punição rigorosas para os culpados”, concluiu.

Mais cedo, o PMDB gaúcho divulgou nota também garantindo que a doação da JBS foi legal. “As doações recebidas da empresa JBS pela campanha José Ivo Sartori, em 2014, foram realizadas dentro da legislação vigente, sendo efetivadas através de transferência eletrônica, saindo da conta da empresa diretamente para a conta da candidatura, bem como emitidos os respectivos recibos eleitorais, conforme informações contidas na prestação de contas do candidato e constantes no site do TRE. A origem dos valores foi dada como legal pela empresa”, disse a nota assinada pelo coordenador financeiro da campanha, João Carlos Bona Garcia.

• Íntegra da nota de Sartori:

A doação da JBS para minha campanha foi declarada e com recibo, dentro da legalidade. Repudio qualquer tentativa de me envolver nesse caso. Nunca participei desse mar de lama. E o povo gaúcho pode ter certeza de que não haverá nada que prove em contrário.

Minha honra é meu maior patrimônio. Faz parte da minha criação fazer a coisa certa. Não aceito a generalização. Não me misturem com essa gente. Pratico e sempre pratiquei a política da seriedade, da integridade e da transparência.

A coordenação da campanha já se pronunciou e está à disposição para prestar qualquer esclarecimento. Espero que haja responsabilidade na abordagem do assunto, com investigação e punição rigorosa para os culpados.

José Ivo Sartori