Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018

  • 24/12/2017
  • 13:06
  • Atualização: 16:31

Autoridades se despedem de Carlos Sperotto em velório

Cerimônia final ocorre na tarde deste domingo no Crematório Metropolitano

Parlamentares Lasier Martins e Pedro Simon participaram do velório na manhã deste domingo | Foto: Fabiano do Amaral

Parlamentares Lasier Martins e Pedro Simon participaram do velório na manhã deste domingo | Foto: Fabiano do Amaral

  • Comentários
  • Correio do Povo

O velório do presidente Federação da Agricultura do Estado (Farsul), Carlos Sperotto, foi encerrado no fim da manhã deste domingo com a presença de várias autoridades. Muitos foram se despedir do amigo e do líder de conquistas da área rural do Rio Grande do Sul, como muitos relembraram. Sperotto morreu aos 79 anos nesse sábado, no Hospital Moinhos de Vento, após lutar contra um câncer no esôfago desde 2016. 

• Familiares e amigos homenageiam legado de Sperotto em velório

Segundo o senador Lasier Martins (PSD-RS), o Estado perdeu uma das maiores lideranças da produção rural de todos os tempos. "Sperotto sempre foi um homem cordial, afável e amigo de todos. Ele sempre foi aceito pelo seu relacionamento e sua vigilância permanente com setor. Não houve luta criada em favor do produtor rural em que ele não estivesse entre os líderes. Perdemos alguém a quem o Rio Grande do Sul deve muito", lamentou.

A senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) também esteve presente no velório que ocorreu na sede da Farsul em Porto Alegre. Conforme ela, Sperotto foi um simbolo de bravura e coragem na agricultura gaúcha. "Ele deixa esse legado que seus sucessores, seguramente, em memória dele, vão prosseguir com mesmo empenho, dedicação e comprometimento de Sperotto", afirmou.

• Ernani Polo destaca conquistas de Sperotto na Farsul

O ex-senador Pedro Simon (PMDB-RS) relembrou de momentos importantes de Sperotto, que segundo ele, estava sempre defendendo e protestando a favor do setor primário, da agricultura e da pecuária do Brasil. "Não tinha um líder mais competente, respeitado e mais temido que Sperotto. Nessas horas de muitas profundas convicções, onde estamos numa briga de um novo espaço pelo Estado e pela agricultura e no setor primario no Brasil, ele fará grande falta. Que tenhamos competência de escolher, nunca para ocupar o lugar, mas defender a continuidade do trabalho de Sperotto. É o que nós desejamos", declarou.

Amigo de longa data do presidente da Farsul, o secretário da Segurança Pública do Estado, Cezar Schirmer, salientou que o Rio Grande do Sul deve ser grato ao trabalho que Sperotto fez pelo setor rural. "Conheci o Sperotto ao longo da minha vida pública e ao longo deste tempo, encontrei um homem determinado, competente e com auto espiríto público, e também e de grande generosidade. Ele foi um homem que viveu intensamente e cumpriu papel relevante, seja como empresário ou como líder", reforçou.

Segundo Schirmer, a pedido de Sperotto e de outras instituições, foram criadas delegacias de combate aos crimes rurais e abigeatos no Estado. "Os resultados estão aí muito presentes. Nós conseguimos reduzir neste ano o abigeato graças a esta parceria intensa da Farsul e sindicatos rurais em todo o Rio Grande do Sul", disse. "Por todas as razões, temos que ser gratos a sua vida intensa, qualificada, solidária e também pública porque ele sempre trabalhou para os outros e com outros", finalizou.