Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

  • 22/06/2017
  • 20:25
  • Atualização: 20:44

EUA suspendem importações de carne bovina brasileira

Inspeções geraram 11% de rejeições aos produtos do país, bem acima do 1% tolerado

Suspensão ficará em vigor até que o Ministério da Agricultura do Brasil adote medidas que o USDA considere satisfatórias | Foto: Nelson Almeida / AFP / CP Memória

Suspensão ficará em vigor até que o Ministério da Agricultura do Brasil adote medidas que o USDA considere satisfatórias | Foto: Nelson Almeida / AFP / CP Memória

  • Comentários
  • AE

O secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, anunciou nesta quinta-feira a suspensão de todas as importações de carne bovina in natura do Brasil, por causa de preocupações recorrentes em relação à segurança do produto destinado ao mercado norte-americano. A suspensão ficará em vigor até que o Ministério da Agricultura do Brasil adote medidas que o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) considere satisfatórias.

Desde março, o Serviço de Segurança Alimentar e Inspeção (FSIS) do USDA inspecionou 100% da carne in natura vinda do Brasil, e rejeitou 11% desses produtos. O número é bem maior do que a taxa média de rejeição de 1% para a carne importada de outros países, disse o USDA. Desde o início das inspeções mais rigorosas, foram rejeitados 106 lotes devido a preocupações de saúde pública, condições sanitárias e questões de saúde animal. O USDA ressaltou que nenhum dos lotes rejeitados entrou no mercado norte-americano.

O governo brasileiro já tinha anunciado na terça-feira a suspensão das exportações da proteína animal de cinco frigoríficos brasileiros para os EUA. A decisão anunciada nesta quinta-feira pelo USDA se sobrepõe à decisão do governo brasileiro. "Garantir a segurança da oferta de alimentos de nossa nação é uma de nossas missões cruciais, e nos a levamos muito a sério", disse Perdue em comunicado. "Embora o comércio internacional seja uma parte importante do que fazemos no USDA, e o Brasil seja um antigo parceiro, minha maior prioridade é proteger os consumidores americanos. É isso que fizemos ao proibir a importação de carne bovina in natura do Brasil."