Correio do Povo

Porto Alegre, 31 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
16ºC
Amanhã
14º 25º


Faça sua Busca



Esportes > Copa 2014

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

15/06/2014 10:25 - Atualizado em 15/06/2014 11:05

França e Honduras se enfrentam em jogo que marca a volta da Copa a Porto Alegre

Depois de 64 anos, Capital volta a receber partida válida pelo Mundial

França e Honduras se enfrenram em jogo que marca a volta da Copa a Porto Alegre<br /><b>Crédito: </b> Fabiano do Amaral
França e Honduras se enfrenram em jogo que marca a volta da Copa a Porto Alegre
Crédito: Fabiano do Amaral
França e Honduras se enfrenram em jogo que marca a volta da Copa a Porto Alegre
Crédito: Fabiano do Amaral

Após 64 anos, a Copa do Mundo volta a Porto Alegre neste domingo, mais especificamente ao Beira-Rio. Reformado, o estádio receberá França x Honduras a partir das 16h, jogo válido pelo Grupo E - que também tem Suíça e Equador.

O CORREIO DO POVO ACOMPANHA O JOGO EM TEMPO REAL A PARTIR DAS 16H

Dois jogos do Mundial de 1950 aconteceram em Porto Alegre: a Iugoslávia venceu o México por 4 a 1, e a Suíça bateu o México por 2 a 1, ambos no Eucaliptos. Caberá a franceses e hondurenhos escrever o novo capítulo.

Franceses pisarão o verdejante gramado do Beira-Rio, considerado um dos melhores da Copa, como favoritíssimos à conquista de uma vaga na próxima fase. Somente um desastre, daqueles bem comuns em Copas, tira a França das oitavas. No entanto, os europeus estão atentos. Até porque querem apagar o vexame de quatro anos atrás, quando saíram do Mundial com apenas um ponto.

Jejum francês



Além disso, a França quer encerrar um jejum de 16 anos: marcar um mísero gol em partidas de estreia. Nas últimas três edições, os Bleus passaram em branco –- derrota de 1 a 0 para Senegal (2002) e empates zerados diante de Suíça (2006) e Uruguai (2010). O último grito de but (gol em francês) foi provocado por Thierry Henry, no inesquecível, para eles, Mundial de 98, o do título inédito

O técnico Didier Deschamps não coloca seu time entre os favoritos. Pudera, nas vésperas da Copa, ele perdeu o principal destaque do time. Franck Ribéry foi cortado quando a delegação se preparava para viajar para o Brasil, ficaram jogadores razoáveis e eficientes em todos os setores. No entanto, o time deve ser ofensivo, com o trio Valbuena, Benzema e Giroud. 

Foi com essa formação que os franceses aplicaram 8 a 0 na Jamaica, no último amistoso antes de viajar ao Brasil. Além do trio de frente, o selecionado irá a campo com um meio de altetas talentosos, em especial Pogba e Matuidi. A mistura de juventude com experiência é o trunfo de Deschamps para implodir o drama das estreias e conquistar um triunfo que o treinador classifica de muito importante.

"É importante o primeiro jogo. Ganhar nos deixará na posição ideal. Quando a gente perde um primeiro jogo, isso não acontece. Mesmo na Espanha (goleada pela Holanda por 5 a 1) há turbulências. Vencer é importante para manter a serenidade e a confiança", disse o treinador.

O goleiro Lloris, um dos mais experientes da equipe titular, foi incisivo ao dizer que um bom ambiente e uma preparação feita da forma correta se desmoronam caso os resultados não venham. "Nós colocamos o máximo de qualidade nos treinamentos, isso se passa bem em campo e fora também. Mas a gente sabe que o equilibrio de uma equipe é frágil. Ela depende das vitórias e das boas performances", afirmou.

Honduras busca 1ª vitória em Copas

Se a potente França quer encerrar a zica nas estreias, os hondurenhos têm um objetivo grande e modesto ao mesmo tempo: conquistar seu primeiro triunfo em uma Copa do Mundo. Grande porque vencer um campeão do mundo não é das tarefas mais simples. E modesto porque vitórias são do jogo. Em seis partidas na história do torneio, a equipe acumula três empates e três derrotas. O resultado mais expressivo foi justamente em uma estreia, um 1 a 1 com os espanhois, então anfritiões, em 1982. Essa partida é a mais importante de todos os tempos para o futebol local.

O técnico colombiano Luis Suárez, que dirige a equipe, acredita que seu grupo possa fazer bonito no Mundial. Seu discurso confiante, exibido na entrevista deste sábado no Beira-Rio, pauta-se na boa campanha do país na última Olimpíada, em que sete jogadores do atual grupo estiveram presentes.

"Não se vence nem se perde antes de começar uma partida. Mas há uma diferença entre os dois e é nisso que está baseado o que falamos: a atitude. Temos um grupo disposto, que venderá cara a derrota, somos conscientes que nos veem como a quarta força do grupo. Vemos isso como a melhor oportunidade e o que ocorreu nas Olimpíadas pode se repetir para obtermos o que desejamos", destacou.

Para chegar a um resultado inédito, Honduras contará com sua força máxima. Os dois alvos maiores de preocupação do técnico francês, o zagueiro Figueroa, com seu chute de canhota, e o habilidoso meia Espinoza estarão em campo.

Neste domingo, uma marca pode ser batida ou um 0 a 0 estenderá o jejum dos dois lados. O detalhe a ser registrado é que será o primeiro jogo com arbitragem brasileiro neste mundial. Sandro Meira Ricci comandará o duelo.

Grupo E - Primeira rodada

França
Lloris, Debuchy, Varane, Sakho, Evra, Cabaye, Sissoko, Matuidi, Valbuena, Benzema, Giroud. Técnico: D. Deschamps

Honduras
Valladares, Beckeles, Figuerea, Bernardez, Izaguirre, Najar, Garrido, Palacios, Espinoza, Costly, Bengtson. Técnico: L. F. Suárez

Árbitro: Sandro Meira Ricci (Brasil)
Local: estádio Beira-Rio
Início: 16h

Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo e Lancepress





O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.