Correio do Povo

Porto Alegre, 19 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
17º 24º


Faça sua Busca



Esportes > Copa 2014

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

21/06/2014 14:52 - Atualizado em 21/06/2014 18:32

No apagar das luzes, Messi garante vitória da Argentina sobre Irã

Camisa 10 fez 1 a 0 aos 45 minutos do segundo tempo no estádio do Mineirão

Messi marca e Argetina vence Irã no Mineirão <br /><b>Crédito: </b> Adrian Dennis / AFP / CP
Messi marca e Argetina vence Irã no Mineirão
Crédito: Adrian Dennis / AFP / CP
Messi marca e Argetina vence Irã no Mineirão
Crédito: Adrian Dennis / AFP / CP

Depois de tanto esbarrar no paredão montado pela seleção do Irã, a Argentina conseguiu arrancar uma vitória na tarde deste sábado no estádio do Mineirão. Aos 45 minutos do segundo tempo, a genialidade de Lionel Messi apareceu e o craque argentino decretou o triunfo dos hermanos em Belo Horizonte por 1 a 0, em jogo válido pelo grupo F da Copa do Mundo.

Com o resultado, a Argentina está classificada para a segunda fase do Mundial. A seleção chegou aos seis pontos e se distanciou dos adversários Nigéria e Irã, que têm apenas um ponto somado. 

Argentina pressiona Irã, mas não abre placar

A ofensividade e a ousadia que Messi pediu à Argentina durante a semana não foi traduzida em gols no primeiro tempo da partida com Irã no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Com muitas dificuldades de articulação, o ataque da seleção sul-americana pouco produziu nos primeiros 45 minutos.

Nos primeiros momentos da partida, o time de Alejandro Sabella tentou envolver o Irã com saídas rápidas para o ataque pela esquerda. Em alguns momentos, Di María aparecia por aquele lado do gramado e em outras vezes era a vez de Rojo fazer este papel. Todas as tentativas, porém, terminavam com as boas intervenções da zaga iraniana.

A primeia chance da Argentina surgiu somente aos 18 minutos, quando Mascherano adiantado conseguiu roubar uma bola ainda no campo de ataque. Ele entregou para Di María, que arriscou um chute de fora da área. A bola subiu muito para alívio do goleiro Haghighi. Três minutos mais tarde, Aguero tabelou com Higuain nas proximidades da área. O atacante do Manchester City chutou forte e quase abriu o placar no Mineirão. O arqueiro iraniano salvou a pátria.

A melhor oportunidade do primeiro tempo veio aos 23 minutos, depois que Di María cobrou um escanteio. O zagueiro Fernández chegou de surpresa e subiu mais alto do que a zaga do Irã. O cabeceio, no entanto, passou muito perto da trave esquerda de Haghighi, que estava batido no lance.

A partir daí, a Argentina começou a exagerar nos dribles e nos passes errados. Sem brilho, Messi parecei um jogador comum diante de um emaranhado de marcadores iranianos. Diversas vezes era possível ver o craque argentino acompanhado de ao menos dois adversários.

O Irã mal conseguia sair da defesa. Sempre que ultrapassava do meio-campo, Dejagah ou Hajisafi não conseguiam segurar a bola a tempo de abastecer o único atacante: Ghoochannejad. O primeiro tempo de um time só chegou ao fim com um 0 a 0 e com a Argentina longe de apresentar o seu melhor futebol.

Messi salva a pátria no apagar das luzes

No retorno para o segundo tempo, o jogo permaneceu com o mesmo panorama da primeira etapa. Argentina tinha a posse de bola e a iniciativa, enquanto o Irã segurava do jeito que podia.

A Argentina fez o primeiro ataque logo aos quatro minutos. Messi fez grande jogada na intermediária e encontrou o lateral Zabaleta dentro da área. O ala ajeitou a bola para a perna canhota e chutou forte. Para sorte do Irã, a bola pegou altura e saiu pela linha de fundo.

O Irã conseguiu responder três minutos depois, num momento raro em que os passes foram acertados. Hajisafi conseguiu lançar Dejagah na direita e em alta velocidade ele cruzou à meia altura. Ghoochannejad cabeceou bonito para uma grande defesa de Romero.

Preocupado somente com a defesa no primeiro tempo, o Irã começou a gostar do jogo e encontrou o caminho ideal para os contra-ataques: o lado direito. Aos 21 minutos, Montazeri se deslocou pelo flanco e lançou Shojaei dentro da área. O meia iraniano conseguiu se antecipar a Zabaleta e cabecear. A bola passou rente ao travessão do goleiro Romero e a Argentina passava ali pelo seu maior susto do jogo.

Irritado com a inoperância do ataque argentino, o técnico Alejandro Sabella mexeu em duas posições ao mesmo tempo, tirando Aguero e Higuain para colocar Lavezzi e Palacio, respectivamente. As substituições não surtiram efeito e apenas serviram para que a Argetina se esquecesse por completo da defesa.

Depois de tanto esbarrar na defesa do Irã, somente um toque de genialidade poderia mudar a partida. Aos 45 minutos, quando ninguém imaginava que pudesse haver uma mudança no placar, Messi decidiu aparecer. O craque argentino saiu da área e chutou forte com a perna canhota. A bola morreu no fundo das redes do goleiro Haghighi e decretou a vitória da seleção da Argentina em solo mineiro.

Grupo F


Argentina 1
Romero; Zabaleta, Garay, Fernández, Rojo, Mascherano, Gago, Di María, Agüero (Lavezzi), Higuaín (Palacio) e Messi. Técnico: A. Sabella.

Irã 0
Haghighi, Montazeri, Hosseini, Sadeghi e Pouladi; Nekounam, Teymourian, Shojaei (Heydari), Dejagah e Hajisafi; Ghoochannejad. Técnico: Carlos Queiroz.

Gols: Messi, aos 45/2º.

Cartões Amarelos:
Nekounam (I); Shojaei (I).

Árbitro: Milorad Mazic (sérvio).

Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte.







Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo





O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.