Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
16ºC
Amanhã
12º 28º


Faça sua Busca



Esportes > Copa 2014

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

29/06/2014 20:03 - Atualizado em 29/06/2014 20:12

Nos pênaltis, Costa Rica bate Grécia e se classifica para quartas da Copa

Costarriquenhos acertaram as cinco cobranças e vão enfrentar a Holanda

Costa Rica garantiu vaga inédita para as quartas da Copa<br /><b>Crédito: </b> Aris Messinis / AFP / CP
Costa Rica garantiu vaga inédita para as quartas da Copa
Crédito: Aris Messinis / AFP / CP
Costa Rica garantiu vaga inédita para as quartas da Copa
Crédito: Aris Messinis / AFP / CP

A grande sensação da Copa do Mundo segue viva. Após passar pelos gigantes Uruguai, Itália e Inglaterra na fase de grupos, a Costa Rica precisou dos pênaltis para seguir fazendo história e chegar às quartas de final do Mundial pela primeira vez. Após estarem vencendo por 1 a 0 – gol de Bryan Ruíz -, os costarriquenhos perderam o zagueiro Duarte expulso e acabaram sofrendo o empate nos acréscimos, com Sokratis. Após mais 30 minutos de prorrogação, brilhou a estrela do goleiro Navas.

Agora, os Ticos enfrentam a Holanda em Salvador no próximo sábado. Em jogo está uma vaga nas semifinais da Copa, algo que antes do torneio era impensável para a Costa Rica, após o time chegar ao Brasil desacreditado por conta do forte grupo no qual foi sorteado. Mas os costarriquenhos passaram por três campeões mundiais para chegar às oitavas e, desta vez, mostraram também disciplina defensiva para dar mais um passo rumo à glória mais improvável da história da Copa.

O jogo

Ao contrário dos seus últimos jogos, a Grécia entrou um pouco mais ofensiva para as oitavas de final. Talvez a ideia do técnico Fernando Santos era conseguir um gol cedo e trancar a defesa, voltando ao estilo que levou os gregos ao título da Eurocopa há dez anos e os trouxe às oitavas de final da Copa. No entanto, foram os costarriquenhos que tiveram a primeira chance, quando Bryan Ruíz achou Bolaños na esquerda em jogada de contra-ataque e quase viu o companheiro abrir o placar.

Talvez temendo tomar um gol nas costas, a Grécia se retraiu e voltou ao seu estilo antigo, fechando os espaços na defesa e tentando surpreender na frente. Campbell e Ruíz, destaques ofensivos da Costa Rica, sentiram e não foram bem na primeira etapa. Os europeus capitalizaram com a frustração dos Ticos e quase marcaram com Salpingidis. No geral, porém, o jogo teve baixo nível técnico e as vaias no intervalo foram merecidas por parte da torcida na Arena Pernambuco.

Na segunda etapa, mais do mesmo. Pelo menos até Bryan Ruíz voltar a entrar em cena. Aos oito minutos, com um toquinho de esquerda na entrada da área, ele tirou a bola do goleiro Karnezis e abriu o placar para a Costa Rica. O gol fez com que os gregos inicialmente se trancassem, com medo de levarem mais um, àquela altura quase fatal. Os adversários "obedeceram" e foram para cima em busca do 2 a 0. Torosidis chegou a colocar a bola na mão dentro da área, mas o árbitro não viu.

Imediatamente, o técnico da Grécia tirou Samaris e colocou Mitroglou, povoando o ataque. A Costa Rica, porém, seguia com o controle do jogo. Até Duarte fazer falta boba, levar o segundo amarelo e colocar fogo na partida. Logo, os gregos tiveram chance com Samaras, mas Keylor Navas fez um pequeno milagre. Até que no começo dos acréscimos, o zagueiro Sokratis fez o que nenhum atacante do seu time conseguiu. Colocou a bola na rede após confusão na área e levou o jogo para a prorrogação, 1 a 1.

Nos minutos extras, a Grécia seguiu a blitz, motivada pelos vários atacantes em campo. Samaras e Mitroglou tiveram boas chances, mas a Costa Rica teve um grande momento com Brennes. Na segunda etapa, o jogo abriu de vez, com as duas seleções tendo grandes chances de marcar o golzinho salvador. Mitroglou, de novo nos acréscimos, teve a melhor chance de todo o jogo, mas perdeu e o duelo foi mesmo para os pênaltis.

Na disputa, os pênaltis foram perfeitos até que Gekas esbarrou em Navas, o herói costarriquenho. No duelo de zebras, só o conto de fadas da Costa Rica segue sendo escrito.





Bookmark and Share


Fonte: Lancepress





O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.